Raiva Canina – Sintomas e como prevenir

A raiva canina é uma doença que merece muita atenção, por isso nesse artigo vou abordar alguns pontos importantes sobre essa doença que acomete os pets. A raiva canina é uma zoonose, ou seja, ela pode ser transmitida dos animais para os humanos.

O vírus da raiva canina é transmitido normalmente por mordidas, mas pode também infectar as pessoas através de arranhões. Para acontecer a transmissão é necessário que o animal já esteja infectado pelo vírus. É importante lembrar que atualmente a raiva já está praticamente erradicada, isso graças ao um trabalho de longo prazo que ainda é mantido pelos órgãos competentes.

raiva-canina

Como meu animal pode contrair a raiva canina?

A raiva canina é transmitida pela saliva de um animal infectado em contato com um ferimento causado pela mordida. Ela também pode ser transmitida por simples lambidas, pois se a pele da pessoa possuir lesões, a possibilidade de contrair a doença é bem grande. Cachorros ou gatos não vacinados correm mais riscos de contrair a doença, por isso sempre fique de olho na carteirinha de vacinação do seu pet.

Quais os sintomas da raiva canina?

A mudança do comportamento do animal é um dos sintomas mais fáceis de se notar. O animal pode apresentar agressividade anormal, paralisias e excesso de salivação, esses são os indícios mais perceptivos no quadro da raiva canina. Outros sintomas como, febre, convulsões, dificuldade de deglutição, falta de coordenação muscular e saliva com aspecto de espuma também fazem parte do quadro da raiva.

Nem sempre é possível saber se o animal contraiu ou não a doença, pois nas primeiras semanas ele não apresenta os sintomas descritos acima. O animal só começa a apresentar os sintomas depois de 3 a 6 semanas de incubação do vírus, ou seja, é muito difícil de perceber a doença logo no começo.  A raiva canina pode se manifestar nos animais em 3 maneiras diferentes, veja a seguir quais são elas.

Raiva canina muda:

A raiva canina muda, possui sintomas diferentes dos outros 2 tipos. O animal ao invés de ficar imperativo, ele apresenta comportamentos depressivos, como por exemplo o isolamento e a falta de apetite. O maior problema nesse caso é a dificuldade de diagnosticar a doença.

Raiva canina furiosa:

A raiva canina furiosa é a maneira mais comum de se ver, pois o animal apresenta comportamentos agressivos e estranhos. A segunda fase é a paralisia que em pouco tempo leva o animal ao óbito.

Raiva canina intestinal:

Os sintomas da raiva canina intestinal são bem raros de se ver, pois o animal não apresenta nenhum sinal comportamental fazendo com que a doença não seja identificada. O animal apresenta vômitos contínuos e dores abdominais durante dias que o levará a óbito.

Como prevenir o seu animal de contrair a raiva canina?

A raiva não possui um tratamento depois que animal foi infectado, por isso o importante é prevenir. A melhor maneira de proteger o seu mascote é através da vacina anti rábica que deve ser feita anualmente. Evitar que o seu animal não brigue na rua também é uma boa solução. Normalmente os animais infectados pela raiva, acabam morrendo entre 7 a 10 dias após os sintomas. Veja aqui mais informações sobre o esquema de vacinação para cachorros e livre o seu animal desse problema.

Espero que vocês tenham gostado do artigo, fiquem a vontade para tirar dúvidas.

*Este post é meramente informativo, sempre consulte o médico veterinário.

Recomendamos para você:

The following two tabs change content below.
Autor do blog Bicho de Apê, publicitário por formação e estudante de Medicina Veterinária.

Latest posts by Gabriel Ortiz (see all)