Adote um amigo

Adote um amigo

Com a superlotação dos abrigos, cabe a cada pessoa a decisão de fazer ou não algo para mudar a vida de animais em situação de rua

Você provavelmente já ouviu a frase: Não compre, adote. Certo? Então, vale reforçar que a adoção é uma grande responsabilidade do tutor, e que irá mudar a realidades de cães e gatos que já sofreram com o abandono, frio, fome, e principalmente a falta de amor. Mas isso não impede a compra de um bichinho de estimação, e para auxiliar na aquisição existem sites que oferecem guia de criadores, canil ou gatil especializado e que são referência na criação. Basta pesquisar e se informar.

Observa-se um aumento de denúncias de maus tratos contra animais em todo país, e muitas dessas ocorrências são de pessoas que visam lucrar com o sofrimento dos animais, mantidos em cativeiros, totalmente insalubres, apenas para procriar. No Distrito Federal alguns casos causaram comoção, dentre eles um canil clandestino, localizado na Colônia Agrícola Samambaia, sem a mínima condição de abrigar qualquer tipo de animal.

Após receberem uma denúncia anônima, policiais da Seção de Combate a Maus Tratos de Animais – SEMAT/PCDF estiveram no local e apreenderam 80 cães e 12 gatos. De acordo com o delegado à frente do caso, Marcos Paulo Costa, alguns desses animais eram mantidos em gaiolas, aonde as vasilhas de alimentos se misturavam com fezes dos animais. E o delegado alerta, que a venda dos animais era feita pela internet. A exploração visando lucro é crime, de acordo com o artigo 32 da Lei Federal n°9.605/98.

Devido ao grande número de animais não castrados, que estão se reproduzindo pelas ruas, percebe-se um aumento exorbitante de abandono.  Segundo Mauro Arruda, da Petfeliz Protegendo Animais, ‘o mundo não precisa de pessoas fazendo muito, mas sim de mais pessoas fazendo algo’. Ajudar um animal é uma decisão que fará diferença entre a vida ou a morte dele.

A gastróloga Hadanish Ventura Darbello, 25 anos, carinhosamente chamada de Nish, conta que cresceu tendo o Sardinha como um amigo felino. Além de duas cadelas que tirou das ruas e um coelho. Para ela, cuidar de animais, em especial que viviam em situação de rua, é um amor impossível de descrever, principalmente quando o assunto é o Camafeu.

Nish ficou preocupada com um gatinho que miava sem parar, mas o fato de haver muitos gatos no condomínio onde morava, a princípio pareceu normal. Pela manhã a jovem foi verificar o que estava acontecendo. Nervoso, o filhote não permitia que chegassem perto dele, e era arisco, foi o que informou uma vizinha. Nish se aproximou, e com cuidado estendeu a mão e conseguiu pegá-lo.

“Abaixei e vi aquela miniatura do Frajola, todo molhado, magrelo, sujo e cheio de pulgas. Em casa, colocamos comida e uma caixa de areia. Ele encheu a pancinha de comida e tentou se aproximar do Sardinha, que ficou de longe observando o novo morador”, lembra Nish.

Com aparência de um gatinho de pelúcia, Camafeu é famoso nas redes sociais, e em seu perfil ele conta com mais de seis mil seguidores, além de ser um dos embaixadores do Bicho de Apê – que oferece produtos personalizados com a foto do pet. Bagunceiro, rapidamente acabou com a decoração da casa, além de tirar o sossego do Sardinha e tomar posse da casinha e alimentos do coelho.

Nish está de mudança para Portugal, lugar que pretende colocar em prática todo seu talento gastronômico. Ela afirma que deixaria de ir se Camafeu não pudesse acompanhá-la, ainda mais com a morte recente do Sardinha, que está fazendo falta, não apenas para a família, como para o Camafeu.

O felino gosta de passear, mas, de acordo com a tutora, não está gostando das idas e vindas a clínica veterinária para tratar do processo pré viagem que é: colocar chip, tomar vacina anti-rábica, além de exames necessários para a mudança. Levar um animal de estimação em uma viagem internacional tem um custo elevado, mas para Nish todo sacrifico vale a pena. “Ele mudou a minha vida. Acho que é um amor que todos nós deveríamos nos permitir receber, seja de gato, cachorro, coelho ou pássaro. É incrível”, finaliza.

Não há dúvidas de que a adoção é um ato nobre. E a grande recompensa é observar as mudanças no comportamento do animal no dia a dia, e para isso é necessário paciência e carinho. Muitos animais são rejeitados e devolvidos para os abrigos ou lar temporário, além daqueles que envelheceram sem nunca terem deixado o local.

Mel é uma gata de beleza incomparável. Fotogênica, suas imagens remetem as obras do pintor alemão, Franz Marc que apresentava a beleza e os sentimentos dos animais em seus ambientes naturais. Após o resgate a gatinha passou por um período de adaptação ao ambiente, e interação com os outros animais da casa. Mas a antiga tutora colocou Mel para adoção, pois os gatos mais velhos estavam batendo nela.

A Pelotense Juliana Freitas, 26 anos, se sensibilizou ao saber da história da gatinha, e mesmo tendo o Bob, um cachorro de médio porte, resolveu adotá-la. E para a surpresa da família os dois são amigos inseparáveis. Mel, que também é famosa nas redes sociais, e em poucos meses conquistou quase três mil seguidores, é uma companheira carinhosa e brincalhona.

“Ela é muito tranquila, dorme bastante durante o dia, para brincar a noite toda. Ela também adora caçar insetos”, explica Juliana que defende a adoção por tirar das ruas animais que sofreram todos os tipos de violência. E como todo felino, Mel chegou dominando o ambiente. Tem seu lugar favorito no sofá, dorme junto aos bichinhos de pelúcia de Juliana e bate no Bob com as patinhas, só para chamar a atenção.

De acordo com Juliana, outro ponto importante é a castração, que além dos benefícios a saúde, contribui para a diminuição do abandono. Ela afirma que Mel, apesar do ganho de peso, ficou mais calma e caseira, o que evita os passeios noturnos para cruzar. “Ela gosta de ficar na área externa tomando sol e brincando com o Bob. Eu tive vários gatinhos antes da Mel, e todas as vezes que um morria eu sofria bastante. Confesso que estou muito feliz com a chegada dela”, comemora Juliana.

 Agradecimentos:

Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF)

Seção de Combate a Maus Tratos de Animais (SEMAT)

https://www.instagram.com/camafeu.cat/?hl=pt-br

https://www.instagram.com/gata_mel2477/?hl=pt-br

Recomendamos para você:

The following two tabs change content below.
Márcia Casali, natural do Rio de Janeiro/RJ, é jornalista, assessora de comunicação, social media e ativista dos direitos dos animais. Possui graduação em jornalismo pelo Instituto de Educação Superior de Brasília – IESB. Reside atualmente em Brasília/DF. Desde criança, já “atuava” como repórter em frente ao espelho, e sempre desejou atuar no jornalismo investigativo. De 2006 a 2009 trabalhou no Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) quando esteve a frente da assessoria do Fórum Brasileiro do Processo Kimberley e organização da Sessão Solene na Câmara dos Deputados do Centenário do Serviço Geológico Brasileiro. De 2010 a 2015 atuou como jornalista na Revista Foco e Revista Filadélfia, produzindo matérias de capa, editorias de moda, saúde, educação, finanças, arte e pet. Em 2011 trabalhou no Jornal do SBT Brasília como produtora e repórter. Além de assessorar o chef francês Lionel Ortega. Em 2014 trabalhou como consultora da Telefônica Brasil. Atualmente auxilia o esposo na empresa El Elyon Solutions, dando suporte como social media. Além da parceria com o blog Bicho de Apê com redação de conteúdos. Contato: 61 99202-3376

Latest posts by Marcia Casali (see all)